Infertilidade pode estar associada à endometriose

A endometriose é responsável por 15% das histerectomias (cirurgia de retirada do útero) e até 35% das laparoscopias (exame visual do interior da cavidade abdominal) realizadas nos Estados Unidos. No Brasil, estima-se que entre 10% e 15% da população feminina em idade reprodutiva tenham a doença, culpada por 50% dos casos de infertilidade no país.

O ginecologista e obstetra doutor Dani Ejzenberg, especialista em reprodução humana, diz que a endometriose é definida pelo implante de endométrio, camada que reveste o útero internamente. “Os locais mais comuns em que isso pode acontecer são os ovários e os ligamentos que sustentam o útero. Existem alguns casos de endometriose profunda em que esse tecido pode invadir a bexiga e o intestino, mais comumente o reto”, explica o doutor. Segundo Ejzenberg, os sintomas mais freqüentes desta patologia são cólica menstrual –de caracterização moderada a severa, alterações urinária e intestinal durante o ciclo da menstruação, e infertilidade. “A endometriose altera a ovulação e pode gerar aderências nas trompas, o que dificulta a captura do óvulo pelas trompas. Ela pode aumentar a quantidade de radicais livres dentro do útero, que impede a fixação do embrião no endométrio e conseqüentemente uma gestação normal”, declara o doutor.

O ginecologista conta que a teoria mais aceita a respeito da doença é a da menstruação retrógrada, onde a mulher sangra pela vagina e também pelas trompas. “Esse sangue menstrual pode carregar o endométrio e, em 10% a 15% das pacientes, pode se fixar por dentro do útero e gerar a endometriose”, diz o médico. De acordo com Dani Ejzenberg, o tratamento é feito com medicamento hormonal, que provoca um bloqueio e impede o crescimento do tecido endometrial. Já o diagnóstico definitivo da doença se dá por meio de uma videolaparoscopia, cirurgia feita com uma câmera introduzida no umbigo, onde o abdome é insuflado para a realização da biópsia e a possível retirada dos focos suspeitos.

Fonte: Dourados Agora

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cirurgia Íntima